quinta-feira, 26 de abril de 2018

Vegetais fritos



Lá por casa não me posso queixar de muitas esquisitices com vegetais. Uns gostam mais de uns e outros de outros, mas comem-se muito bem, regra geral. Misturar vegetais com fritos é que já é uma situação mais rara, porque fazemos poucos fritos, por motivos óbvios. Mas andava com desejos de vegetais fritos há bastante tempo e pronto, teve mesmo que ser! Podem usar os vegetais que quiserem, desde que estejam muito bem escorridos antes de se misturarem com a polme. Vão ver até os mais esquisitos a lamberem os dedos! Deixo-vos a sugestão:



200g de feijão verde
100g de rebentos de feijão mungo
1 pimento vermelho pequeno
100 g de cogumelos frescos cortados em fatias
100g de cenoura ralada

Para a polme:

2 ovos pequenos
1 copo de água
100g de farinha de trigo
50g de farinha milho
1 colher de café de sal marinho
1 colher de chá de alho em pó
Pimenta preta moída na hora a gosto (opcional)

Começar por prepara todos os vegetais, cortando, lavando e escorrendo muito bem (tirar o excesso de água com papel de cozinha absorvente).

Numa taça grande misturar os ingredientes para a polme com a ajuda de uma vara de arames. Mergulhar os vegetais preparados nesta mistura.

Colocar uma fritadeira ao lume com óleo abundante. Quando o óleo estiver quente colocar porções da mistura de vegetais envolvidos na polme. Quando estiverem no óleo separar com um garfo de modo a que fiquem o mais solto possíveis. Quando estiverem douradinhos, retirar com a ajuda de uma escumadeira. Deixar escorrer sobre papel de cozinha absorvente. Colocar numa travessa e servir como acompanhamento.

Bom apetite!



quinta-feira, 19 de abril de 2018

Fettuccine com bife de fiambre



Nestes primeiros dias de Primavera, confesso, até não me importo de apanhar trânsito… com os devidos limites, obviamente! Mas aquelas filas voltadas a nascente, com o solinho morno da manhã a bater no corpo… até levanto a pala e deixo o sol bater na cara. Fecho os olhos, levanto a música e vou espreitando aqui e ali se o sinal já abriu ou se posso continuar em modo osga! Hoje foi uma dessas manhãs… sol na cara, a ouvir a bonita Carolina Deslandes e o eterno Rui Veloso que me fazem voar num avião de papel para bem longe daqui, para lugares quentes, cheios de aromas familiares, com todas as minhas pessoas… podia ficar nesses momentos tempo sem fim… mas de volta à realidade dos dias, as minhas pessoas também precisam de comer! E gostam de comer! E gostaram muito desta sugestão que hoje vos deixo. Fettuccine com bife de fiambre, cogumelos e espinafres… simples, rápido e delicioso!



300g de massa fettuccine (pode ser outra)
2 bifes de fiambre (cerca de 1 cm de espessura)
4 dentes de alho
200g de folhas espinafres
100g de cogumelos frescos
400ml de molho bechamel (fiz caseiro, mas podem usar de compra)
Queijo mozarela para gratinar

Levar ao lume um tacho com água temperada com sal. Quando levantar fervura, juntar a massa e deixar cozer até ficar al dente. Escorrer.

Enquanto a massa coze, colocar uma frigideira antiaderente ao lume e regar com um fio de azeite. Juntar os dentes de alho picados e os cogumelos laminados. Enquanto os cogumelos cozinham, partir os bifes de fiambre em cubos. Juntar os cubos de fiambre e os espinafres aos cogumelos, envolver e deixar cozinhar por 2 ou 3 minutos.

Juntar o molho bechamel à massa. Adicionar a mistura de cubos de fiambre e envolver. Colocar num recipiente de ir ao forno, e salpicar toda a superfície com queijo mozarela. Levar ao forno na opção grill, apenas para gratinar. Quando estiver douradinho, está pronto a servir!

Bom apetite!

terça-feira, 17 de abril de 2018

Tarte queijada de leite



Dos dias em que não apetece fazer coisa nenhuma, mas em que há sempre milhares de coisas para serem feitas. Dos dias que acordam cinzentos, mas que se transformam em dias de sol. Dos dias em que levantar da cama parece um sacrifício e acabam em dias de gratidão por tudo o que tivemos. Dos dias em que mostramos às miúdas que é possível dar aos outros um dia melhor. Dos dias que apenas são dias que passam, mas nos quais gastamos cada minuto precioso da nossa existência. Dos dias (todos eles!) que vale a pena aproveitar cada momento… cada momento para estar bem e para dar aos outros os nossos momentos. E lá por casa bons momentos também se oferecem em forma de bolos, tartes ou salgadinhos. Em pequenos momentos de sabor… deixo-vos hoje um momento do meu tempo numa tarte de leite, numa receita encontrada num caderninho antigo, ainda escrito à mão, que folheei por acaso enquanto procurava outra coisa. Um acaso que se transformou num bom momento…



½ litro de leite
60g de margarina vegetal
1 pau de canela
Raspa de 1 laranja (ou limão)
250g de açúcar
4 ovos
100g de farinha de trigo
Canela para polvilhar

Levar um pequeno tacho ao lume com o leite, a margarina vegetal, o pau de canela e a raspa de laranja. Quando a margarina estiver derretida, retirar do lume e deixar arrefecer enquanto se preparam os restantes passos.

Pré-aquecer o forno a 180.ºC. Untar uma tarteira de loiça ou pyrex com margarina e reservar. Noutro recipiente bater muito bem os ovos com o açúcar. Juntar a mistura do leite já morno aos ovos e bater novamente. Adicionar a farinha e bater até não apresentar grumos. Deixar repousar durante 5 a 10 minutos. Colocar a massa na tarteira e polvilhar generosamente com canela.

Levar ao forno cerca de 30 a 35 minutos. Retirar do forno depois de cozida e deixar arrefecer.

Bom apetite!

quarta-feira, 21 de março de 2018

Bolo de maçã fatiada com nozes



Cá estou hoje novamente após outra longa ausência. E mais outra receita com maçã… three on the road! Mas bom, quanto a mim, receitas com maçã são sempre bem-vindas, especialmente enquanto ainda vai sabendo bem ter o forno aceso… Mas finalmente o sol espreita e já apetece ficar tipo osga a aquecer colada a uma parede… Eu sei (e este ano não me atrevo a reclamar!!!) que a chuva nos faz tanta falta, mas tenho saudades dos dias amenos, de céu azul, de cores vivas e de não precisar de acender as luzes de casa às seis da tarde. Tenho saudades disso e de tantas outras coisas. De ter tempo… não sei o que tem acontecido, mas não consigo ter tempo para nada. Nada mesmo! As rotinas e os problemas têm-se embrulhado uns nos outros e estou cansada. E o cansaço tira-me a vontade de tudo. As miúdas quanto mais velhas, mais trabalho dão, por incrível que isso pareça. Também são já quase 15 anos de maternidade acumulada, sem folgas, em dose dupla, com tudo o que isso tem de bom… mas também de difícil. Repetiria tudo outra vez, sem qualquer ponta de dúvida ou incerteza… mas bolas, estou cansada! Já estou com saudades do sossego das fraldas e das ranhocas no nariz, das birras e das sestas da tarde, do levar a casa atrás para sair de casa……… era tudo tão mais fácil nessa altura! Mas para chegar aqui, também já passei por lá… e sei que se para nós pais não é fácil, para elas também os dias são uma montanha russa emocional. Vamos sobreviver! Vou-me deixar de conversas e deixar a receita……….





2 maçãs (de qualquer qualidade)
2 colheres de sopa de açúcar
1 colher de chá de canela
1 Cálice de Vinho do Porto
200 g de margarina amolecida
200 g de açúcar
4 ovos
200 g de farinha
1 colher de chá de fermento em pó
Nozes picadas q.b.

Pré-aquecer o forno a 180.ºC. Untar uma forma de buraco (22-24) com margarina e polvilhar de farinha. Reservar.

Descasca-se e corta-se em fatias finas a maçã. Coloca-se num recipiente com o açúcar, a canela e o vinho do Porto. Reservar enquanto se prepara a restante massa.

Começar por bater a margarina até obter um creme. Juntar o açúcar e os ovos, um de cada vez, batendo entre cada adição. Por último adiciona-se a farinha e o fermento batendo apenas até envolver. Deita-se a massa na forma preparada. Distribuem-se as fatias de maçã pela massa, sem cobrir completamente. Salpicar com nozes picadas e um pouco de canela. Levar ao forno pré-aquecido cerca de 35 minutos ou até o bolo estar cozido. Retirar do forno, aguardar 3 ou 4 minutos e desenformar.

Bom apetite!

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Tarte de maçã (outra variante)



Na minha opinião tarte de maçã é sempre boa. Depois resta-nos criar as variantes que bem entendermos, dentro daquilo que temos na dispensa. Acontece-me muito ir para a cozinha, sem saber bem ao certo ao que vou. Ir abrindo um armário a seguir ao outro até ter uma vaga ideia do que fazer. Desta vez foi mesmo isto. Com umas maçãs meio murchas na fruteira, um pacote de natas frescas quase na data limite, junta mais isto e aquilo e sai uma tarte de maçã. Deixo-vos a sugestão, espero que gostem.





1 base de massa folhada de compra
5 maçãs
10 tâmaras
2 colheres de sopa de açúcar
½ cálice de vinho do Porto

3 ovos
1 colher de sopa de margarina vegetal
1 pacote de natas frescas
3 colheres de sopa de açúcar
1 colher de sopa de amido de milho (farinha Maizena)
2 colheres de sopa de amêndoas laminadas
Canela a gosto

Pré-aquecer o forno a 180.ºC. Estender a massa folhada sobre uma tarteira de fundo amovível e picar com um garfo para a massa respirar durante a cozedura. Reservar.

Descascar as maçãs e partir em cubos pequenos. Juntar as tâmaras (descaroçadas) cortadas em pedacinhos. Colocar numa taça e juntar as duas colheres de sopa de açúcar e 1/ cálice de vinho do porto. Envolver bem e colocar sobre a massa folhada reservada de forma a cobrir o fundo de forma uniforme.

Bater (podem usar a mesma taça para não sujarem muita loiça!) os 3 ovos. Adicionar a margarina amolecida (pode ser creme vegetal), as natas frescas as 2 colheres de sopa de açúcar, o amido de milho e as amêndoas laminadas. Misturar tudo muito bem e cobrir as maçãs com esta mistura.

Levar a tarte ao forno cerca de 35 minutos ou até estar douradinha. Assim que sair do forno salpicar com um pouco de açúcar e canela em pó. Deixar arrefecer e servir.

Bom apetite!


Post Ads (Documentation Required)

Author Info (Documentation Required)